Tensão muscular e estresse: Causas e Soluções

A correria diária, o excesso de compromissos e de estímulos (as “benditas e malditas” telas) têm sido alguns dos principais responsáveis pelo aumento dos quadros de estresse.

Um mau que vai além do psicológico

Hoje a gente já sabe que os altos níveis de Cortisol (o hormônio do estresse) não afetam só a nossa mente, mas refletem negativamente no corpo todo. 

Quem nunca passou uma semana “de cão” no trabalho e esse estresse todo resultou em dores na nuca, na lombar, nos ombros…

A dor como espelho das emoções

Não é papo de coach! Toda emoção que a gente sente ecoa biologicamente no nosso físico.Cada sentimento, por mais que a gente tente ignorar, se traduz em um peptídeo que é liberado em algum lugar do corpo. Nossos órgãos, tecidos, pele, músculos e glândulas endócrinas têm receptores peptídicos, para acessar e guardar esse mundo de informações emocionais. 

Isso significa que o corpo todo tem memória, não só o cérebro! 

Uma equipe de pesquisadores da Universidade Finlandesa de Aalto desenvolveu um estudo com 701 participantes e, a partir disso, criaram um mapa de como a gente experimenta cada emoção no corpo físico:

E o que a Tensão Muscular tem a ver com tudo isso?

O estresse libera hormônios que aumentam a nossa percepção da dor, como o cortisol e o adrenocorticotrópico.

Com isso a nossa circulação sanguínea é reduzida, fazendo com que menos oxigênio e nutrientes cheguem aos tecidos. Resultado: Sentimos aquele cansaço brutal, acompanhado da dor. 

Quase 75% da população adulta tem um nível elevado de estresse

E isso está diretamente ligado a uma série de sintomas físicos.

O convívio com dores de cabeça tensionais, dores nas costas, insônia, ansiedade, pressão alta e depressão se tornou uma realidade comum para várias pessoas. A tensão muscular, geralmente, começa na cabeça e segue para pescoço e ombros, sendo bastante  incômodo. 

Como eu me livro de tanta dor e estresse?

O que a gente indica são soluções simples, mas que se levadas em conta todos os dias fazem MUITA diferença: alimentação saudável e balanceada, praticar meditação, fazer terapia, aprender a respirar melhor e liberar a musculatura.

Sobre essa última indicação você pode sentir o alívio seja através da prática de atividade física frequente ou, de maneira mais prática e rápida, com essa técnica realizada pela nossa profissional Mayara:

Caso queira saber mais sobre como a liberação miofascial pode te auxiliar, entre em contato com a gente via Whatsapp. Nós podemos te ajudar!

Siga a Influence nas Redes Sociais

Leave a Reply